O Problema do Mal em Agostinho de Hipona e seus Desdobramentos na Teologia Contemporânea

  • Rildo Feitosa Faculdade Batista do Cariri

Resumo

Agostinho de Hipona não é o primeiro a abordar o problema da existência do mal, mas é o primeiro filósofo e teólogo a responder satisfatoriamente à questão nos termos das Escrituras. Sua posição compatibiliza a Soberania de Deus com a Liberdade do homem. A Soberania divina é uma verdade da Santa Palavra, relacionada ao Ser divino. Por sua vez, a Liberdade do homem, e as implicações morais, também é revelada no texto sagrado. Em sua obra O livre-arbítrio, Agostinho aborda o mal nos aspectos metafísico-ontológico, moral e físico, logo no primeiro livro, identificando a natureza e a origem do mal. Este artigo mostra, primordialmente, o pensamento de Agostinho, situando-o histórica e criticamente.

Biografia do Autor

Rildo Feitosa, Faculdade Batista do Cariri

Bacharel em Direito e Licenciado em Biologia. Pós-graduado em Docência do Ensino Superior, Administração de Empresas e Direitos Humanos Fundamentais. Foi coordenador no curso de Direito da UNILIÃO, professor de Direito Comercial e Societário, Direito das Obrigações, Legislação Tributária e Direito Aplicado à Gestão e outras disciplinas nos cursos de Direito, Administração de Empresas, Gestão Comercial e Ciências Contábeis, e na Pós-Graduação de Direito Tributário na UNILEÃO. Atualmente é estudante do curso de Teologia na Faculdade Batista do Cariri. E-mail: jose.rildo.feitosa@gmail.com

Publicado
2019-08-24